12.11.09

Relativo

Algo curto.
Sim, com pressa,
sem muito o que pensar.
Algo só para preencher
os espaços que faltam
Entre "entre" e "fim"do fim

Algo só que os deixe contentes,
sem aquele trabalho todo
De mexer e descolar a mente,
Nem precisa fazer sentido!
Só faça,
Faça que eles adoram.

Mas quem sabe, um dia.
Eles olhem para as palavras
como realmente são.

Quem sabe, um dia
não tenhamos que discorrer sobre a verdadeira relevância de versos
[compridos ou
curtos

[Algumas coisas não tem tanto mistério assim]

Quem sabe, um dia
"amor" signifique Amar
E não velha peça de porcelana,
Parte da coleção de seus amados avós

Quem sabe, um dia
O essencial não escape mais aos olhos
E a gente, enfim, poderia
Simplesmente... aceitar.

[A Academia poderia, as vezes, usar um pouco de fé.]

Um comentário:

  1. ahhh!!!
    *.*

    amor, dificil nesses ultimos dias...

    beijos.

    ResponderExcluir