31.3.09

Campo dos Sonhos

O mundo entoa uma canção morta;
Esperam pelo impossível, vindo do homem;
A multidão quer o Romantismo heróico;
As pessoas querem acreditar em Cândido e Martí;
Querem ter letras bonitas e céus límpidos;
Querem e precisam ter fé;
Mas há sempre Natalis no mesmo mundo,
Dizendo que a tera é seca e o céu nublado;
Dizendo que o líquido tem que solidificar-se;
Querendo enraizar em razão aquilo que não é racional;
Querendo apodrecer os sonhos dos homens,
A vívida sensação de acreditar no melhor.
Há, ainda, salvação.
(É necessário salvação)
Os desejos não podem cessar simplesmente porque homens clamam sua inexistência;
Os céus não deixam de ser límpidos apenas porque homens clamam que são nublados;
Há de ter um jeito;
Haverá um lugar
Onde a louca fantasia da criança não será dominada por correntes, por ninguém;
Onde é possível não somente sonhar, mas viver o que se sonha;
Um dia não seremos mais presos,
presos por nossos medos,
nossos erros,
nossa incapacidade de esperar;
Um dia.
Em um dia, todo amor derramado não será frustrado;
Não mais lembraremos do amargo e turvo veneno da injustiça;
Poderemos viver plenamente satisfeitos;
Eternamente satisfeitos.
O mundo precisa de fé.
Fé e mangas arregaçadas.

"É preciso ter fé no melhor do homem e desconfiar do pior dele. É preciso dar oportunidade ao melhor para que se revele e prevaleça sobre o pior. Senão, o pior prevalece." - José Martí

"Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão." - Is 65:17

"E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe." - Ap 21:1

Um comentário:

  1. Amei... Profundo desejo pelo eterno, que está às portas.

    ResponderExcluir